sábado, 19 de julho de 2014

Maratona literária 3.0


Olá leitores, finalmente resolvi participar de uma maratona literária para dar um "up" nas minhas leituras.
Eu vi essa maratona no blog Café com Blá Blá Blá e para conferir o post basta clicar aqui.

A maratona consiste em ler o máximo de livros (ou páginas) possíveis em apenas uma semana. O legal da maratona é ir postando boletins diários sobre o andamento das leituras, e é isso que pretendo fazer. Ah, não precisa ter um blog para participar, você pode ir postando sobre a maratona no seu facebook, skoob etc.

Escolhi apenas dois livros, e com poucas páginas já que sou bem lerda para ler. São eles:

Sinopse: Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.
Quando vi a capa desse livro pela primeira vez, fiquei louca, é linda. A sinopse me atraiu bastante, estou passando quase a mesma coisa que a protagonista, enfim, um livro perfeito para eu devorar (ler) em poucos dias. E além de tudo ele é curtinho, com apenas 337 páginas.

Sinopse:  Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e a mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e para além dela centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com frio na barriga.
Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel, um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. O menino do pijama listrado é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.
Sério, sou a única pessoa do mundo que nunca leu e/ou assistiu "O Menino do Pijama Listrado"? Quase todas as pessoas (para não dizer todas) falam super bem dessa história e é claro que eu não iria a deixar de lado. Está na minha meta da maratona, espero que eu consiga ler ;D.

Participem dessa maratona também, as inscrições vão até o dia 20 de julho e começa dia 21, então não perca tempo e participe!

Beijos e até a próxima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário